PROVAÇÃO, FRUSTRAÇÃO & DESERTO

 São experiências comuns em nossa vida cristã. Como compreendê-las e vencê-las? 


Nesses momentos costumamos ser derrotados e frustrados, ainda mais quando vemos a Bíblia ordenando-nos alegrias nestas horas (Tiago 1:2, I Pedro 1:6, I Pedro 4:12-13).


O que é provação e tentação? 

Provação e tentação são a mesma coisa? Há diferenças? Porque em algumas Bíblias aparece a palavra tentação, e em outras o mesmo texto apresenta a palavra provação? Na Bíblia a palavra traduzida como tentação ou provação é a mesma: “ pera ismos”. Quer dizer teste, prova. Há vários tipos de provas (I Pedro 1:6)  a que podemos ser submetidos: perseguições, doenças, problemas sérios, oposição desencadeada por Satanás, aparente distância de Deus, etc… 


--> Todos estes tipos de testes são “provações”. Há um tipo especial de provação, que é aquela desencadeada por Satanás, visando nossa derrota e valendo-se de uma cobiça interior nossa para acenar-nos com algo que tenta induzir-nos ao pecado. Esta prova é uma “tentação”. Este tipo maligno de “pera ismos” Deus não faz. É o que diz Tiago 1:13-15. A diferença entre tentação e provação é mais didática do que prática, pois freqüentemente se confundem. 

--> Toda tentação é uma provação e toda provação pode vir a ser uma tentação. Basta para isso que Satanás nos induza ao pecado, em meio à provação.

Vide o exemplo de Jó, que sendo provado foi tentado, Jó 2:9. A aparente distancia de Deus, também é às vezes um teste, visando provar nossa fé em suas promessas constantes. Este teste é o que chamamos “deserto espiritual”, sensação de vazio.

Quais as caudas de nossas provações?

1° O mundo: Depois do pecado este mundo foi condenado a cardos e abrolhos, tristeza, dor, morte, aflição, desamor, ódio, egoísmo e toda sorte de males. O mundo está preso a isto até o dia de sua transformação (Romanos  8:19-22). Mesmo nós, crentes e salvos, enquanto vivermos neste corpo e neste mundo estamos sujeitos a estes sofrimentos, Romanos 8:23. As aflições são marcas deste mundo. (João 16:33), e Deus não pode fornecer agora um mundo perfeito a todos nós imperfeitos. (Ex.: Dois jovens crentes amam a mesma moça, e oram a Deus, cada um pedindo que Deus lha dê, livrando-o da aflição de esperar por ele. Como Deus solucionará isto?). Sofrimentos inerentes ao mundo imperfeito, com homens imperfeitos: doenças, intrigas, dificuldades financeiras, guerras, catástrofes, etc, também os crentes passam porque estão neste mundo.

2° Satanás: Ele é o príncipe deste mundo, e tenta afastar o homem de Deus principalmente os salvos. Assim, além de seu grau de ódio normal contra o homem, há uma oposição mais ferrenha contra nós. Ele produz toda sorte de tentações que possamos imaginar (I Pedro 5:8, II Timóteo 3:12, Lucas 22:31).

3° A permissão e o controle de Deus: O que diferencia o filho de Deus, salvo, do ímpio é que os sofrimentos inerentes a este mundo, e os ataques de Satanás, só são feitos sob a permissão e o controle de Deus, chegando somente ao ponto máximo de nossa resistência, sem ultrapassá-la. Além disto Deus nos fornece nesta hora poder para escape, servindo-nos tudo isto como teste de fé, I Co 10:13. Deus é fiel! A nossa garantia e descanso nas horas de sofrimento e provação, é fidelidade de um Deus eterno, amoroso, e que não mente Hebreus 6:18. Basta a você, a garantia da Palavra de Deus? Você confia na sua fidelidade? II Timóteo 2:13. Porque Deus permite as provações? Quais são seus objetivos? Qualificar nossa fé – I Pedro 1-7 como o ouro é provado valioso pelo fogo, e ao mesmo tempo é purificado de impurezas.Tal sucede com nossa fé. A provação é o fogo (mesmo que seja aceso por Satanás). Multiplicar nossa fé – Como um músculo é exercitado com pesos e esforços para crescer, assim a fé, para que não se atrofie precisa ser exercitada com “pesos”. “O justo vive pela fé” – quanto mais fé, mais vida. Quanto mais provação mais fé e mais vida. Produzir virtudes em nós – Tiago 1:3 e 4, Romanos 5:3 e 4. Recompensar-nos no fim de tudo – Tiago 1:12, I Pedro 1:7, I Pedro 1:13 e 14, I Pedro 5:10, Romanos 8:18, II Co 4:17. Torna-nos íntegros – Tiago 1:4, integridade é mais valioso do que inocência. Integridade é manter-se reto diante de provas. Revelar atributos – Há atributos de Deus que só conheceremos nas provações. Amor, perdão, poder… Corrigir-nos e disciplinar-nos – Hebreus 12:4-8. Glorificar o Seu Nome – João 9:3 e 11:4 Conduzir-nos a Ele, buscando-O nas horas difíceis (Salmos 34:6, Salmos 119:71).

O que é deserto?

Porque algumas vezes nos sentimos vazios: Frios, Deus parece que não nos ouve? Deus está conosco, Jesus prometeu estar conosco todos os dias até a consumação do século, o Espírito Santo faz morada em nós. Portanto a Trindade está sempre conosco. No entanto eu posso sentir isto ou não. Posso ver isto ou não. Quando eu não sinto ou não vejo Deus comigo (Deserto), me vem uma sensação de vazio e frieza espiritual. 

Mas Deus não quer isto, Ele quer que pela fé (Hebreus 11:1) eu cria que Ele está comigo, e haja abundância de vida mesmo no deserto (Salmos 84:6) Jó 35:14. Deserto é dificuldade de ver e sentir Deus presente, embora Ele sempre esteja (Salmos 34:18). Há 3 causas diferente de Deserto: Deus nos faz passar por momentos assim: Se Deus quer trabalhar em nossa fé, e fé é ter convicção de fatos que não se vêem, muitas vezes Deus permite que não o sintamos presente para lançarmos mão de fé. “Ele está aqui, embora não o sinta”.

Exemplo: Êxodo 14; 15:22,27; 16:12; 17:1, Deuteronômios 8:15 e 16, Mateus 4:1, Salmos 23:2-4, Jeremias 17:7 e 8, Mateus 14:22-25. Pecados ou voluntários afastamentos de Deus. Este tipo de deserto não é propriamente uma provação mas conseqüência de derrota espiritual.

O pecado afasta-os de Deus, e o abandona da oração e da leitura da Bíblia, nos traz também frieza espiritual. II Sm 11; 12:6; Salmos 51:11. Peculiar característica física ou temperamental. I Reis 19:4. Elias era homem de Deus e muito abençoado. Não fora Deus quem o conduzira ao deserto, e nem pecado, mas um problema, uma ameaça o fez entrar em depressão. Elias era um Melancólico. Todos temos um pouco do temperamento melancólico, mas há pessoas marcadamente melancólicas, que constantemente estão em desertos. Os melancólicos são introvertidos, escrupulosos, meticulosos, exigentes, pensadores, auto depreciadores. Para mudar seu temperamento leia: Temperamento controlado pelo Espírito e Temperamento transformado pelo Espírito.

Como agir no deserto?

Usar a fé e não sentidos II Co 5:7, crer que Deus está ali mesmo que não o veja ou o sinta. Manter vida devocional, mesmo que não haja “o calor da sua presença”. Preservar enquanto durar o deserto. O de Jesus durou 40 dias. O dos Judeus 40 anos. O seu durará enquanto você necessitar. Se houver pecado, confesse-o. Se estiver doente vá ao médico. Deixe o Espírito mudar seu temperamento, se for este o seu caso.

Como agir nas provações de maneira geral? 


Confiar nas promessas. I Coríntios 1:13, I Pedro 1:5, I Pedro 4:10, Mateus 26:20. Perseverar ao lado do Senhor, descansando – I Pedro 5:7. Opondo-se e resistindo ao diabo e às tentações. I Pedro 5:8 e 9, Tiago 4:8. Alegrar-se nas bênçãos provenientes das provações I Pedro 1:6.

Comente pelo Facebook ()
Ou Comente Aqui ( 2)

2 Comentários:

  1. Nossa Muito abençoado seu Blog!

    Que Deus continue te usando Como um canal d benção não so pra mim mas para todas as nações!

    DTA

    ResponderExcluir
  2. somente na fé e esperança e no amor
    lutas e lutas mas olhemos para o que esta por vir será maravilhoso!
    !!bela mensagen!
    abraço
    q o SENHOR te abençoe

    ResponderExcluir

Caso precise de resposta em sigilo, favor utilizar a nossa página de contato :)