JESUS ESTÁ VOLTANDO? DE ONDE?

Imagem retirada de: Jovem Cristão
“Muito tempo já se faz, desde que ouvi contar
Que o Senhor Jesus um dia voltará.
Parecia tão real, que hoje posso pressentir
Quanto perto está o meu Senhor de vir...”♫ - Paulo Moreira

À primeira vez que ouvi esse hino imaginava quando seria a tão esperada Vinda de Jesus. Era eu de uns quatro anos achando impressionante uma pessoa adulta e tão mais velha afirmar que já está esperando Jesus a muito tempo. Jesus iria voltar? De onde? Saiu de férias? E porque ele foi embora se a galera aqui amava tanto ele? O mais interessante era que “deveríamos estar preparados”, palavras da minha mãe, e se não tivéssemos “calos nos joelhos” não iríamos subir. Estar preparado pra mim era estar de banho tomado pra não espantar Jesus, mas conseguir os tais calos nos joelhos era um sacrifício insuportável. Uma vez me propus a ficar meia hora ajoelhado pra conseguir o tal calo. Mas meus joelhos e minha hiperatividade infantil não aguentaram nem por um minuto. Minha mãe iria ser salva e eu não e, segundo minha ideologia forjada pelo Jaspion, ela iria ser levada por Jesus numa espécie de nave intergaláctica, só assim pra caber tanta gente de joelho calejado, e eu ficaria órfão aqui na terra para lutar sozinho contra satanás que surgiria como o monstro Gyodai.

Num dia, enquanto andava no meu triciclo pelo quintal, vi um sinal no céu. Parecia ser Jesus num avião bem esquisito. Nunca tinha visto um avião daqueles, então só podia ser Jesus. Ele teria vindo naquele avião pequeno porque não teria tanta gente assim de calo no joelho pra ele levar. Jesus que me perdoasse, mas até que era compreensível não ter, pois pra ter calo no joelho dói pra danar! Eu larguei rapidamente meu triciclo e corri pra chegar a tempo no meu quarto e dobrar meus joelhos. Se eu dobrasse os joelhos ali fora, Jesus ia ver lá do avião e saberia que eu tava orando só porque o vi... E foi nesse momento de pressa e correria que levei um tombo feio no quintal. Chorei muito. Por ter caído, nem tanto, mas por não ter chegado à tempo no meu quarto. Minha mãe tentava me acalmar, não fazendo ideia do porquê eu chorava. O primeiro alívio foi de ter visto que minha mãe não foi levada por Jesus. O segundo foi porque finalmente parecia que todos os meus problemas haviam sido resolvidos. Sim, era maravilhoso pra mim! Meus joelhos estavam todos ralados! Eu estava salvo!

E hoje em dia ainda muito se fantasia sobre a Vinda de Jesus. Existem muitos cristãos que têm mais medo do que desejo de encontrar com o Senhor. Até que minha mãe estava certa, eu é que não entendia. Ter calos nos joelhos, coisa que só fui entender o verdadeiro significado mais tarde, não era necessariamente ter os joelhos machucados ou marcados por várias horas de oração ou sacrifício físico, mas era ter vida de oração e de comunhão com o Criador. O mais irônico de tudo é que servir a Deus geralmente nos exige mais do que uns simples minutos de joelhos dobrados. Mas não esqueça que Jesus também quer te salvar e te ter junto a ele. Ele deseja não te condenar, mas te ajudar a vencer os problemas e as dificuldades que Ele sabe muito bem como passar, afinal, ele já sofreu muito aqui na terra antes e entende as suas dificuldades. Ele continua voltando, mesmo que pareça que a demora é infinita (2 Pedro Cap. 3). Se Ele não voltou ainda, é porque ainda há o que ser completado aqui antes de Sua Vinda e é aí que você tem a oportunidade de se arrepender e de se consagrar ainda mais. Não por medo de ficar aqui na Sua Vinda, não por medo de ser condenado, mas sim porque Ele é o único ser que te ama integralmente e é a melhor companhia pra você passar a Eternidade. Se ele conseguiu ressurgir de entre os mortos como não seria capaz de cumprir uma promessa que pra ele é tão simples: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.” (João 14.1-3)

Encerro com o coro do hino:

“Vejo os sinais em toda parte.
Ansiedade vem em pleno ar.
Clamo a Deus por sua compaixão
Porque bem perto a Redenção está.”

Comente pelo Facebook ()
Ou Comente Aqui (0)

Seja o Primeiro a Comentar!

Caso precise de resposta em sigilo, favor utilizar a nossa página de contato :)