UM CHAMADO À IMORTALIDADE

Fonte da imagem: http://lifeleader.com.br/blog/o-poder-das-nossas-escolhas

Você pode ser ótimo com as palavras. Você pode conseguir destruir uma pessoa sem mover um dedo, convencê-la do que quiser. Ou de repente, você sabe como ninguém, tocar um instrumento. E através disso, mais do que a inveja dos outros músicos, você desperte a emoção de uma multidão, toque a alma de alguém de quem você nem sabe o nome.

Eu não sei qual a sua habilidade, tampouco se ela é usada pra bem ou pra mal. Mas mesmo sem te conhecer, eu posso afirmar com certeza: Você não é, nem nunca ouviu falar de alguém que seja tão bom na prática do amor quanto Jesus Cristo.

Ele não apenas mudou algumas vidas ao longo de seus curtos 33 anos de vida na Terra. Ele dividiu a história, Ele continua mudando vidas hoje, mesmo sem sua presença física, porque o amor o ressuscitou e é no amor que Ele se manifesta. Ele sabia que a sabedoria muitas vezes estava no silêncio. Ele tinha convicções, e quem tem convicção não precisa de argumentos. Alguém cuja fala é a própria canção, não precisa de instrumentos.

Se você fala tanto, que abafa a voz d’Ele, se você toca tão alto que não consegue ouvi-lo, saiba que Ele também veio pros surdos. Os que não podem ouvir, n’Ele podem receber cura. Os que não querem, recebem segundas, terceiras, infinitas chances. Enquanto o sol nascer, existem chances pra você O conhecer, se arrepender, se apaixonar. Se arrepender de não ter se apaixonado antes.

Alguma vez você O sentiu, mesmo que não tenha conseguido identificar, ou assumir pra si mesmo. Aquela lágrima que escapou, de compaixão pelo sofrimento de alguém, sem que você pudesse controlar, era Jesus. O desejo de mudar seus maus hábitos pra viver mais tempo ao lado de seu filho, é Jesus.

Imagine só. De um lado, um mendigo indigente, sem perspectiva nenhuma de vida. Que só sabe que já é amanhã porque cochilou faminto e quando acordou, com muita dor no estômago, a lua fria já tinha dado lugar à luz quente do sol. Do outro, um pai de família que trabalha mais do que sorri, porque precisa pagar as contas pra conseguir sorrir. De alegria não, de alívio. Por trás deles, imagine a figura imponente de um empresário de sucesso. Também um pai fracassado, mas disso ninguém precisa saber, porque o cheque gordo no fim do mês talvez encha de presentes a criança que só queria um pai presente.

Agora imagine você. Com seus sonhos, sua rotina, sua personalidade, seus tantos defeitos. E tente imaginar o que coloca você e esses três caras no mesmo patamar. Vocês quatro são mortais. Mais do que seres humanos, vocês são mortais.

O que você faz, quando alguém que você ama, morre? Chora e sofre, independentemente de suas habilidade e de quanto tem no bolso.

Pra onde você vai quando morrer? Céu ou inferno. Tanto em um, quanto em outro, você poderá encontrar empresários bem sucedidos e pobres falidos.

A dor nos faz buscar algo maior do que aquilo que podemos conquistar com nossas mãos, com nossos dons. Algo que nem todo o ouro do mundo pode comprar.

Nossa impotência diante da morte nos coloca de joelhos diante de um cara que venceu o invencível: a própria morte.

A boa noticia é que Ele não conquistou isso só pra marcar a história ou pra ser melhor que você. Ele conquistou isso por você. Ele venceu a morte pra você ser imortal e poder viver pra sempre ao seu lado.

Deixa Jesus Cristo te ensinar como vencer seus monstros. Você vai ver que, o que te impede de amar como Jesus amou, e de fazer o que Ele fez nas pessoas, é pequeno como uma escolha. A soma de tantas pequenas escolhas, no fim da sua história, não vai te trazer reconhecimento, fama ou dinheiro. Mas uma coroa linda, chamada vida. Entregue pelo próprio Rei. Um chamado a imortalidade.

Escrito por Lenara M

Fonte texto: http://naomordamaca.com/2012/04/04/um-chamado-a-imortalidade/#.U89dRdxdW_F

Comente pelo Facebook ()
Ou Comente Aqui (0)

Seja o Primeiro a Comentar!

Caso precise de resposta em sigilo, favor utilizar a nossa página de contato :)