DEPENDÊNCIA EMOCIONAL

Imagem retirada de: Olhar 43

A questão da dependência emocional é muito importante para uma vida emocionalmente saudável.

Você se sente dependente de algo ou alguém? Você depende de alguma coisa para ser feliz? Você se sente bem consigo mesmo? Com suas escolhas? Como você se vê? Como você se enxerga? O que sente que precisa mudar em si?

São perguntas que nos ajudam a olhar para nós e refletir sobre quem somos, como estamos, o que desejamos e se somos plenamente felizes, independente das circunstâncias ou das pessoas.

A dependência emocional é quando você precisa de algo (um emprego, dinheiro, casa, carro, tecnologia) e/ou de alguém (pai, mãe, amigos, irmãos, parentes, marido, esposa, namorado, namorada) para ser feliz.

Eu sei que é difícil aceitar o que eu vou dizer, mas todos nós precisamos ser felizes não pelos bons acontecimentos, mas por nós mesmos. Aquilo que adquirimos não é para sempre e, as pessoas, por mais que nos faça bem são seres humanos e, por isso, também falham e podem nos decepcionar.

Ou seja, quanto mais expectativas você depositar em algo, maior será a sua decepção. Não que isso seja uma regra, mas devemos ser realistas e aceitar as limitações do próximo. Precisamos entender que a felicidade não é um objeto ou uma pessoa, a felicidade é como reagimos diante das infelicidades, assim como a paz.

Sim, pode existir paz em meio às guerras, pois a paz é algo que se tem internamente, que se escolhe que se determina e não uma circunstancia.

Podemos sim e ficamos abatidos diante das dificuldades que possuímos no decorrer do dia a dia, porém não devemos SER tristes, ou seja, passamos por momentos de tristeza, mas não somos tristes.

Às vezes, por falta de algo, por transferência sentimental, por baixa autoestima, sentimo-nos dependentes de alguém para nos dar “base” para viver, mas, como já disse, precisamos descobrir a felicidade que existe em nós. A felicidade não é e nem está em algo, à felicidade é você quem determina.

Eu sei o que é ser dependente emocionalmente de alguém, de precisar ouvir a voz dessa pessoa, de ouvir a opinião dela, etc., por isso, sei que quem tem dependência emocional a algo sofre muito.

Não só a dependência emocional, mas para realizar alguma atividade, para trabalhar, como por exemplo, as moças podem auxiliar a mãe nas tarefas domésticas e os meninos podem auxiliar os pais nas atividades que exigem força, etc..

Precisamos aprender a ser equilibrados, ciente que precisamos das pessoas, mas não que vivemos somente com a presença delas. É preciso buscar sabedoria para compreender a profundidade a essência do que pretendo transmitir-lhes. É preciso equilíbrio para não exagerar e sofrer.

Não deposite/confie toda a sua vida em algo. Seja por si mesmo feliz. Não espere estar tudo bem, da forma como você deseja, para ficar plenamente satisfeito.

Não deixe que as dificuldades tirem a sua paz. Não deixe que seus medos te impeçam de prosseguir. Não deixe que sua autoestima te impeça de ser feliz. Não deixe que o seu excesso de amor pelo outro seja maior do que o seu amor por si mesmo.

A Bíblia nos ensina a amar o próximo como a nós mesmos e não a amar o próximo mais do que a nós mesmos. Ou seja, precisamos valorizar/ amar o próximo, mas primeiramente amar a nós mesmos. Quanto a praticar boas obras, devemos preocupar com os outros, desejar o bem estar delas, isso é fruto de uma vida saudável, pois não se pode ajudar verdadeiramente alguém se você precisa de ajuda.

Valorize-se, pois você é importante, você é especial, você é único, você é capaz, você tem defeitos como todos os seres humanos, mas você também tem muitas qualidades. Seja feliz! Escolha ser feliz! Não espere nada do outro ou de algo para encontrar à essência da vida, mas que acima de tudo, você seja feliz por escolha, porque você escolheu isso.

Faça a sua vida valer a pena, corra atrás daquilo que te faz bem, aproveite cada instante para amadurecer, para plantar e colher. Não deixe que as barreiras que você cria te impossibilite de chegar onde você sonhou, saiba que barreiras podem ser difíceis de serem rompidas/ quebradas, mas não são impossíveis, basta uma atitude, uma decisão sua.

A questão é: o que você verdadeiramente deseja?

Se a resposta for uma vida feliz, uma estrutura emocional saudável, sua força de vontade será maior para conquistar isso. Mas se você deseja ficar na mesma, infeliz, insatisfeito, angustiado, então não tome nenhuma atitude!  

E quanto a amar a Deus sobre todas as coisas, isso é algo extremamente essencial para se chegar a essa felicidade plena. Somente de Deus podemos e devemos ser totalmente/ completamente dependentes, pois só Ele é digno de toda a nossa confiança, de todo o nosso amor, pois Ele é perfeito, Ele nos entende, nos compreende profundamente, no mais íntimo detalhe. Dele vem tudo aquilo que necessitamos. O amor dele supre todas as rejeições.

Espero que possamos refletir sobre isso e principalmente, tomar atitudes de uma pessoa independente de circunstancias ou pessoas para viver uma vida completa.

Com carinho; 

Comente pelo Facebook ()
Ou Comente Aqui ( 1)

1 Comentário:

  1. “Depender da pessoa que se ama é uma maneira de se enterrar em vida, um ato de automutilação psicológica em que o amor-próprio, o auto-respeito e a nossa essência são oferecidos e presenteados irracionalmente. Quando a dependência está presente, entregar-se, mais do que um ato de carinho desinteressado e generoso, é uma forma de capitulação, uma rendição conduzida pelo medo com a finalidade de preservar as coisas boas que a relação oferece. Sob o disfarce de amor romântico, a pessoa dependente afetiva começa a sofrer uma despersonalização lenta e implacável até se transformar num anexo da pessoa “amada”, um simples apêndice. Quando a dependência é mútua, o enredo é funesto e tragicômico: se um espirra, o outro assoa o nariz. Ou, numa descrição igualmente doentia: se um sente frio, o outro coloca o casaco”.

    Fonte: Amar ou Depender
    Walter Riso

    ResponderExcluir

Caso precise de resposta em sigilo, favor utilizar a nossa página de contato :)